24 maio 2024

O eu narcisista

Categorias: Psicanálise

Quem me acompanha mais assiduamente no Instagram (@BiaMunstein) sabe que estou cursando Psicanálise há algum tempo e me formo esse ano de 2024, se tudo der certo.

Sempre pensei em compartilhar meus textos somente após a formação, mas diante de algumas conversas que temos tido, tenho sentido muita vontade de fazê-lo e após vários anos de estudo da mente humana me sinto segura para fazer esse compartilhamento e quem sabe ajudar alguns de vocês a se entenderem melhor e terem um olhar mais empático para os que conosco convivem.

Dito isto e inaugurando uma tag nova no blog, vamos ao texto de hoje!

O eu Narcisista

Esse texto não falará apenas do Narcisismo pela ótica do senso comum. Falaremos do Narcisismo sim, mas pelo viés da Psicanálise. Você pode se surpreender!

O objetivo é desmistificar um pouco mais esse tema que é denso, enraizado na psique humana e tão disseminado nos dias de hoje.

O narcisismo é um dos conceito mais importantes na teoria psicanalítica e também um dos mais complexos.

Já introduzindo a principal diferença nos conceitos (senso comum x Psicanálise) precisamos ter em mente que todos nós somos construídos à partir do narcisismo! O narcisismo não é vilão e não somente isso: o narcisismo é extremamente necessário na nossa formação psíquica.

De acordo com o senso comum, o Narcisista é um ser humano vaidoso, cruel, manipulador e capaz de tudo para conseguir o que deseja.

Pelo ponto de vista psicanalítico, todos nós podemos ser assim em alguma medida, e quando adoecemos psiquicamente podemos ficar mais próximos desses conceitos, à depender do tanto que estamos maduros para lidar com as dificuldades da vida.

Em resumo: o Narcisista pode ser qualquer sujeito neurótico* regredido psiquicamente ao ponto do narcisismo primário. (*dentro do conceito psicanalítico todos nós somos neuróticos e isso não é sinônimo de doença).

Como mencionado no início, o narcisismo faz parte de nós e isso porque ele é uma instância primitiva de construção do ego.

Adentrando brevemente nessa teoria , é durante essa fase que o bebê acha que é o centro do universo e que todas as suas vontades prevalecerão. O “outro” ainda não existe. Porém, durante o processo de amadurecimento do bebê, a mãe começa retomar sua vida, não sendo mais uma presença tão constante como antes e, com o tempo, o bebê se dá conta que existe algo além dele.

Ao se construir internamente, esse pequeno sujeito passa a agregar coisas externas, descobrindo que elas não só existem, como também fazem com que que o mundo não seja só por ele e para ele.

Ele descobre, então, o “outro” enquanto começa a internalizar o mundo.

Dando um salto nesse amadurecimento psíquico, o pequeno narcisista, percebe que o amor do outro não será sempre dado de forma automática e que ele precisará “correr atrás” desse amor. Dessa forma o sujeito passaria a desejar e buscar esse amor incansavelmente, no que Freud viria a chamar de Narcisismo secundário (Freud, Além do Princípio do Prazer. 1920).

“Só estou preparado para amar quando a relação entre o eu e o outro puder existir.”

O narcisismo, tal qual o vemos hoje em dia, é um adoecimento!

Quando adoecemos psiquicamente, temos a tendência de ir nos recolhendo para dentro de nós mesmos. Seja por algo que nos cause profundo sofrimento, sentimento de tristeza, culpa ou inadequação, o que ocorre é que podemos ir regredindo psiquicamente, sempre a um ponto anterior do nosso amadurecimento e, nesse caminho, a depender da história do sujeito e até suas características individuais, podemos atingir um momento da nossa história em que a relação com o outro ainda não estava construída (o Narcisismo primário que falamos à pouco).

Veja que chegando à esse ponto, amar se torna impossível, porque para amar precisamos, necessariamente, do outro!

Eu, como sujeito, só estou preparado para amar quando a relação entre o eu e o outro puder existir.

O narcisista se vê impossibilitado de amar.

Adiante, o sujeito que adoece e regride dessa maneira, se vendo impedido de amar diante da inexistência do outro, também se depara com um sentimento de vazio.

Como o sujeito só se constrói e se enxerga na relação com o outro -num processo de espelhamento- inexistindo o outro ele também não existe, e o que resta para o narcisista adoecido é uma inexistência de si, um vazio existencial.

Aqui poderíamos ver um apelo desesperado por ajuda, porém devemos atentar que uma personalidade extremamente narcísica, muito adoecida, ao ponto de não conseguir enxergar mais o outro, pode, lamentavelmente, não ser um sujeito analisável (que se beneficia da terapia). Ele pode aceitar a proposta terapêutica apenas para continuar se beneficiando de alguma condição: manter o relacionamento que lhe é vantajoso, justificar suas faltas com vitimismo, conseguir a “aprovação” do analista, usar as falas do analista para manipular seus pares, etc.

Voltando ao texto, como o narcisista não existe para si mesmo, ele precisará desesperadamente existir para o outro, e aqui muitos lançarão mão de tudo ao seu alcance para se sentirem vistos e, melhor ainda, serem o centro das atenções, formando assim mais uma das conhecidas características narcísicas: o egocentrismo.

Mas não paramos por aqui: Uma vez que o narcisismo que nos constituiu se encontra na infância, podemos afirmar que o narcisista adoecido é extremamente imaturo e com isso carregará muitas vicissitudes de aspecto infantil: Ele será egoista, manipulador e fará de tudo para conseguir o que deseja. Tal qual uma criança, porém agora com as habilidades de um adulto.

Existe um conceito, ou pré-conceito, que molda o narcisista como um ser vaidoso, cheio de si e que ama profundamente a si mesmo e a sua imagem. Sabemos que essa visão vem do mito de Narciso.

Contudo, precisamos observar mais atentamente o mito, e perceber que Narciso não conhecia sua imagem! Quando Narciso se vê refletido no lago, pela primeira vez, ele não sabia que aquela figura espelhada na água era ele, logo ele não podia se apaixonar por si mesmo. Ele se apaixona pela pessoa que ele viu refletida e considerou bela!

Paralelo a isso, o narcisista também não se vê, e logo não pode amar a si mesmo, não sendo sua auto-adoração genuína. O que o narcisista pode amar é uma falsa ideia que criou de si mesmo, e que, no “frigir dos ovos”, ele próprio sabe que é falsa.

Ainda sobre essa personalidade narcísica, que é conhecida como grandiosa e confiante, precisamos atentar que, mais uma vez, ela pode não passar de um mito. Desconsiderando o aspecto superficial do sujeito, onde por baixo disso existiria um indivíduo frágil e inseguro, o narcisismo tanto pode se manifestar no relacionamento com o outro, com base na superioridade, orgulho e presunção, como na inferioridade, inveja, frustração. Nos dias de hoje, essa segunda descrição pode ser descrita por alguns como “narcisista oculto” ou “narcisista encoberto”, mas não vamos nos aprofundar sobre essa diferenciação nesse texto.

Finalizo reiterando que todos nós somos narcisistas, dele fomos formados e sob o narcisismo secundário viveremos o restante das nossas vidas. O que deveríamos buscar é ter saúde emocional, não deixando acumular a necessidade de tanta regressão psíquica que nos leve cada vez mais próximos do narcisismo primário, onde estaríamos buscando, inconscientemente, o paraíso do ventre da mãe, num momento em que somente nós existíamos no mundo.

Façamos análise.

Posts relacionados:

20 fevereiro 2024

Resenha: Shampoo Kérastase - Genesis Bain-Hydra Fortifiant

Categorias: cabelos, Produtos Testados, shampoo

Olá, meninas! Tudo bem com vocês?

Hoje quero falar de shampo! Mais precisamente do shampoo transparente da linha Genesis da kérastase.

Eu já tenho ele há tempos, tenho também a máscara que comprei antes dele, mas  desde que resolvi comprar o shampoo para fazer parzinho me apaixonei por ele!

-tem resenha da máscara aqui pra quem não viu.

O meu shampoo Genesis eu comprei online aqui.

Descrição do fabricante:

Shampoo antiqueda para cabelos secos e grossos. Kérastase Genesis Bain-Nutri Fortifiant promove uma purificação suavemente e fortalece a fibra capilar, para reduzir o risco queda. Traz uma fórmula enriquecida com a potente combinação de Células Nativas de Eldelweiss e Raiz de Gengibre, para uma nutrição intensa. Sua ação garante limpeza e hidratação da raiz às pontas, para fios mais bonitos, com brilho natural e toque macio.

fotos

Modo de usar: Aplique o shampoo nos fios molhados e massageie bem a raiz, delicadamente, com a parte macia dos dedos. Enxágue e repita a operação para eliminar óleos e impurezas. Enxágue para retirar totalmente o produto.

-sim! É meu segundo frasco! <3

Resenha: Shampoo Kérastase - Genesis Bain-Hydra Fortifiant

O que eu achei: Primeiro PRECISO falar o quanto esse shampoo é cheiroso! Deixa o cabelo da gente - o banheiro e até a toalha, rs!- com cheiro de riqueza! Um loooshoooo só! Amei demais o cheiro.

É uma fragrância requintada, sabe? Não é aquela coisa básica do cheirinho adocicado ou floral. Parece uma fragrância de perfume mesmo.

Partindo para o shampoo em si ele é transparente -e lindo!- assim como vocês veem no frasco. Ele não é rosado não, só a embalagem é rosa, ele é todo transparente mesmo, como mostrei na minha mão.

Faz um espuma INCRÍVEL e lava super bem a raiz. 

Ele é o shampoo da linha Genesis que é indicado para raizes com mais oleosidade, então ele limpa muito bem! Porém, mesmo eu tendo cabelo seco -com tendência ao ressecamento- não noto minhas pontas ressecadas com ele. Lógico que eu não aplico ele nas pontas, né? Temos até vídeo ensinando a lavar os cabelos e sempre falo que shampoo é só na raiz. A única excessão seria aquela lavagem mensal detox ou antiressíduos.

Vou deixar o vídeo falando sobre como lavar corretamente os cabelos e por coincidencia eu lavei o cabelo com ele nesse dia.

 

Onde Encontrar: o Shampoo e a Máscara Genesis Kerastase vendem online aqui.

 

06 setembro 2023

Primeira lavagem e tratamento após o retoque de luzes

Categorias: cabelos, Produtos Testados

Olá, meus amores!

Postei no Youtube o primeiro tratamento que escolhi fazer logo após o retoque de luzes!

Resolvi falar dele aqui também 🙂

Trata-se do Soin Acid Chroma Gloss da Kerastase. Vende online aqui. (Temos um cupom de desconto nessa loja: EUVOUDEROSA).

Vou deixar a descrição do fabricante:

Soin Acide Hair Gloss possui uma fórmula de textura fluida transparente que quando ativada sob a água, se transforma em um creme branco que penetra profundamente na fibra capilar, tornando o cabelo mais forte e hidratado. Trata profundamente a fibra e promove brilho intenso aos fios.

Soin Acid Chroma Gloss | Kerastase

O que eu achei: simplesmente maravilhoso! Eu sou apaixonada por esse produto. E como ele é um acidificante, você pode usar sozinho (assim como eu fiz) ou pode usar combinado com uma máscara ou condicionador.

Vou deixar o vídeo onde uso ele abaixo (caso não abra clique aqui).

Onde encontrar? Vende online aqui. Temos um cupom de desconto nessa loja: EUVOUDEROSA.